Hecatônquiros

Ἑκατόγχειρος (Hekatónkheiros), Hecatônquiro, é o composto de ἑκατόν (hekatón), “cem”, cuja raiz é o indo-europeu dkmt-om, que seria um coletivo proveniente de dekmt- “dez”, donde o sânscrito satám, tocariano känte, latim centum e de χείρ, χειρóς (kheír, kheirós), “mão”, donde Hecatônquiro é o que possui “cem mãos”. Também conhecidos pela forma latina Centimanos.

Os hecatônquiros eram gigantes fortíssimos e monstruosos com cem braços e cinquenta cabeças. Filhos de Gaia e Urano chamavam-se Coto, Giges e Briareu (ou Egéon).

Outros ainda da Terra e do Céu nasceram,
três filhos enormes, violentos, não nomeáveis.
Cotos, Briareu e Giges, assombrosos filhos.
Deles, eram cem braços que saltavam dos ombros,
improximáveis; cabeças de cada um cinqüenta
brotavam dos ombros, sobre os grossos membros.
Vigor sem limite, poderoso na enorme forma.
Teogonia v. 147-153

Lançados no Tártaro por Crono, foram, por força de um oráculo de Urano e Gaia, libertados por Zeus, de que se tornariam aliados na Titanomaquia, luta dos deuses olímpicos contra os titãs. Alimentados por este néctar e ambrosia, os hecatônquiros criaram uma nova enérgeia, centuplicaram suas forças e tornaram-se um fator decisivo para a vitória de Zeus.

Tão logo o pai lhes teve ódio no ânimo
prendeu em poderosa prisão Briareu, Cotos e Giges
admirado da bem-armada bravura, aspecto
e tamanho, e meteu-os sob a terra de amplas vias.
Aí, doloridos sob a terra habitando
jaziam nos confins e fronteiras da grande terra
com longas angústias e grande mágoa no coração.
Mas o Cronida e os outros Deuses imortais
que Reia de belos cabelos pariu amada por Crono
restituíram-nos à luz por conselhos da Terra.
Ela lhes revelou clara e plenamente:
teriam com eles vitória e renome esplêndido.
Teogonia v.617-628.

HecatonquirosSegundo uma variante, só Briareu combateu ao lado dos deuses olímpicos, ficando os outros dois a favor dos titãs, sendo, por isso mesmo, após a derrota de Crono, arremessados por Zeus novamente no Tártaro.

A interpretação evemerista do mito é simplesmente infantil: os hecatônquiros não eram gigantes monstruosos, mas corajosos habitantes da cidade de Hecatonquíria, na Macedônia. Cooperaram com a população de Olímpia, “os olímpicos”, na luta, vitória e expulsão dos “titãs” da cidade sagrada.

Referências:

BRANDÃO, J. S. Dicionário mítico-etimológico v.1. Petrópolis: Vozes, 2008.

BRANDÃO, J. S. Mitologia Grega v.1. Petrópolis: Vozes, 2013.

HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. Trad. TORRANO, J. A. A. São Paulo: Iluminuras, 1995.

Anúncios
Categorias: Criaturas, Outros | Tags: , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Pensamentos Flutuantes

Entre devaneios e realidade, ideias ascendentes

%d blogueiros gostam disto: